Férias, festas, canseiras e caixotes!

Estou de volta depois das férias; das festas e de um cansaço extremo que se apoderou de mim, já no início do ano. A somar a isto tudo decidimos antecipar a mudança de casa, razão pela qual tenho lidado intensamente com caixotes, papel de seda e plástico-bolha, deixando a casa num caos sem fim.

Não pensem vocês que há um mês que não cozinho. Nem sequer vou escrever “quem me dera” (embora o tenha acabado de fazer), porque seria mentira. Estamos mesmo naquela fase de esvaziar o congelador e a despensa. Dá para imaginar as refeições que têm saído desta cozinha?

Também não acho de bom tom estar aqui a tentar comprar-vos com desculpas esfarrapadas e palavras bonitas. No entanto, dada a minha ausência prolongada, sinto-me na obrigação de vos contar a história do meu último mês.

Há 30 e tal dias atrás:

Tudo é intenso quando vamos de férias a Portugal. Falo-vos da excitação, do nervoso miudinho, do comer bem demais e do comer demais. Falo-vos das saudades da casa dos pais, da correria para aproveitar mais do que aquilo que o dia é capaz. Quem passa pelo mesmo certamente entende.

Ir a Portugal tem tanto de maravilhoso como de terrível, que mais não seja pelos quilinhos a mais que “trazemos no bolso” em troca das lágrimas que deixamos pelo caminho.

Este mês e pouco que estive ausente foi uma constante agenda ocupada. Entre as muitas actividades: apagámos as velas dos meus 34 anos; preparámos a noite de consoada; viajámos para a neve; brindámos ao Novo Ano; comemos o último bolo rei e até já fizemos o jantar de despedida cá de casa, com um fantástico bacalhau à Brás – um dos pratos preferidos dele.

Dezembro foi especialmente um mês de família; de amigos; de abraços e conversas fora de horas. Havia lá melhor forma de acabar o ano?!

Passados mais de 15 dias desde o início do ano, há quem já tenha os olhos postos no Verão, nas idas à praia e nas bolas de berlim. Por aqui, porque adoramos dias frios e cinzentos e porque nos estamos a despedir de mais uma etapa das nossas vidas, proponho-vos um prato quente, reconfortante e cheio de sabor. Nada difícil, apenas demorado, é o aliado perfeito para superar um dia preguiçoso.

Carne de Porco desfiada

com

Polenta & Parmesão

Ingredientes para 4 pessoas:
500gr de carne de porco (1 peça)
sal qb
pimenta qb
2 c. de sopa de azeite
2 cebolas médias
2 dentes de alho
2 talos de aipo
2 latas pequenas de tomate pelado picado (800gr)
½ lata de água
75ml de vinho tinto
1 folha de louro
1 ramo de salsa

200gr de polenta
750 a 800ml de água
250ml de leite meio gordo
sal qb
50gr de manteiga
50gr de queijo parmesão
manjericão q.b.

Modo de Preparação:

Comece por temperar a carne com um pouco de sal e pimenta. Numa panela ou tacho (dependendo da peça de carne que comprar, pois a ideia é ela estar toda tapada pelo molho, enquanto estiver a cozinhar) coloque o azeite e sele a carne em lume alto, durante cerca de 8/10 minutos, até estar com um tom castanho/caramelo de todos os lados. Enquanto sela a carne, pique as cebolas, os talos de aipo e os dentes de alho.

Retire a carne e reserve.

Utilizando o mesmo recipiente onde selou a carne, refogue a cebola, o aipo e o alho picado. Adicione a folha de louro e deixe caramelizar, mexendo regularmente. Junte o vinho tinto e aumente um pouco o lume, para que este evapore.

Passados 2 ou 3 minutos adicione o tomate pelado picado, ½ lata de água e um ramo de salsa. Tempere com um pouco mais de sal e pimenta e adicione algum picante, se preferir. Envolva tudo muito bem antes de juntar a carne e todos os sucos que esta libertou enquanto repousava.

Assim que o molho começar a ferver, reduza o lume e deixe cozinhar durante cerca de 2h30, mexendo ocasionalmente. Ao fim deste tempo conseguirá facilmente desfiar a carne de porco e envolve-la no molho apurado.

Comece a preparar a polenta quando a carne estiver quase pronta, para que a possa servir de imediato.

Para fazer a polenta é essencial seguir as instruções da embalagem, uma vez que pode ter um tempo de cozedura mais rápido/mais lento. No meu caso, usei 200gr de polenta para 750ml de água e 250ml de leite. A polenta que utilizei cozeu em 15 minutos, em lume baixo.

Assim que a polenta fique pronta, junte uma boa noz de manteiga e bastante queijo parmesão ralado, envolvendo muito bem. Sirva de imediato, com uma boa porção de carne desfiada. Salpique com mais um pouco de queijo parmesão e manjericão picado para refrescar o prato.

 

Confesso: este prato sabe melhor se estiverem sentados no sofá. Por um dia ninguém leva a mal, pois não?

Malas desfeitas, roupa lavada, prendas em uso – é tão maravilhoso ir de férias como estar de volta a casa. Foi isto que eu disse na primeira semana de Janeiro, antes de começar a encher a sala de caixotes!

Onde quer que a vossa casa seja, estejam vocês onde estiverem, desejo a todos a continuação de um excelente 2018, cheio de planos e promessas credíveis e possíveis de alcançar.

Gosto muito de vos ter aqui comigo. Obrigada e até amanhã!

0 comments on “Férias, festas, canseiras e caixotes!Add yours →

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.