A laranja no topo do bolo

Há muitos anos atrás, não sei precisar quantos, embora consiga reconhecer que, por essa altura, era fashion ver a Casa Cheia e cantar as músicas do Festival da Canção, fomos convidadas a passar um fim de semana em Valpaços, com o nosso primo Rui – eu, a Patrícia e a nossa prima Marta.

O Rui era aquele primo cool, com quem queríamos ser vistas, para parecermos mais velhas e estilosas. Era o primo que aparecia de vez em quando e nos mostrava as cenas mais modernas e revolucionárias que uma miúda tonta de 10 ou 11 anos nunca tinha visto. Sim, ainda me lembro das botas pesadíssimas, e das canecas de leite com Milo, para o lanche, que ele servia em canecas gigantes de vidro.

Pensando agora no assunto, não deve ter sido nada fácil para os nossos pais, deixarem-nos ir assim, para fora de casa, mesmo que debaixo da asa segura de um familiar. No entanto, o motivo era mais do que maior: íamos conhecer a noiva dele – a mais do que cool e super fashion Maria João.

A tão esperada sexta-feira chegou e as borboletas no estômago também. O objectivo da viagem era enorme, mas o facto de irmos sozinhas, com o nosso primo, tornava tudo ainda mais especial.  Caramba, se me lembro deste dia! Os telemóveis que não existiam, os ponteiros do relógio que não paravam e o Rui que teimava em não aparecer – naquele início de noite, valia-nos o consolo da minha mãe que, na dúvida, dizia-nos que ele deveria estar a chegar a qualquer momento.

A viagem aconteceu. Uma ou duas horas depois, mas aconteceu. Tenho memórias de quase tudo: de chegar a Valpaços, de conhecer a minha prima Maria João e os pais dela, do nosso quarto (onde nos sentíamos umas miúdas crescidas), da ida à piscina e das toucas amarelas que nos compraram (e que aposto que a minha irmã ainda guarda).

No último dia, como que em despedida, o Rui decidiu presentear-nos com um bolo de laranja que acabou por ficar mal cozido. Propositadamente cru ou não, o bolo estava divinal, de tal forma que nunca mais nos esquecemos de contar esta história, sempre que se fazia algum bolo lá em casa.

Para desgosto do nosso irmão, que ainda hoje tem o hábito de nos obrigar a tirar os bolos do forno antes do tempo, a receita do bolo de laranja nunca foi vítima de réplica. Por outro lado, impulsionada por tudo isto, a minha irmã fez sua missão descobrir uma receita de bolo de laranja que cumprisse com os requisitos.

Um dia, talvez uns 4 ou 5 anos mais tarde, culpa das poucas fontes de pesquisa da época, a Patrícia encontrou “a receita” do bolo. Cada vez que o fazíamos mexíamos aqui e ali, nas quantidades de laranja ou de manteiga. O bolo ia, pouco a pouco, ganhando uma forma mais pessoal e tornando-se mais nosso e menos daquele livro envelhecido.

A receita original incluía um glacé de laranja no topo que, por na altura não saber fazer, a minha irmã substituiu por sumo de laranja. O bolo, que já era bom, transformava-se num quase pudim, a enganar as vontades de bolo mal cozido.

Há 2 anos atrás, pela altura dos anos do Miguel, tentei fazer pela primeira vez esta receita incluindo o glacé. O resultado foi um sucesso, toda a gente elogiou o bolo e eu passei a adoptar a receita assim, tal como a original.

É esta a receita que vos trago hoje: um bolo de domingo, que a minha irmã não criou, mas adaptou à sua (e nossa) vontade. E uma homenagem aos bons anos que já lá vão e que a minha cozinha obriga a que nunca sejam esquecidos.

O bolo é um sucesso de tão fácil e rápido que é. Ontem foi ele que salvou 4 laranjas de apodrecerem na fruteira.

Bolo de Laranja

com sumo ou glacê

Ingredientes:
110g de manteiga (à temperatura ambiente)
110g de açúcar
120g de farinha
1 pitada de sal
2 ovos médios
raspa de 2 laranjas
sumo de 1 laranja
1 c. de chá rasa de fermento
200g de açúcar de confeiteiro
sumo de laranja q.b.

Modo de Preparação:

Antes de começar a preparar a massa, é essencial que todos os ingredientes estejam à temperatura ambiente.

Pré-aqueça o forno a 190°.

Comece por bater um pouco a manteiga, com uma colher de pau. Junte o açúcar e envolva tudo muito bem.

Junte de seguida os ovos, um de cada vez, envolvendo muito bem entre cada um. Assim que os ovos estejam bem envolvidos, junte a farinha, o fermento e uma pitada de sal.

Por fim, junte a raspa de 2 laranjas e o sumo de apenas 1. Misture bem e coloque numa forma pequena, untada com margarina.

Leve ao forno durante 20 minutos, controlando a meio se é necessário cobrir o bolo. Note que, dependendo do tamanho da forma, o tempo de cozedura também pode mudar.

Assim que o bolo esteja pronto, tire-o do forno e desenforme-o. Regue o bolo com metade do glacê.

Para fazer o glacê deite o açúcar de confeiteiro numa taça e vá adicionando o sumo de laranja, pouco a pouco, até obter a espessura que pretende.

Assim que o bolo arrefeça completamente, deite o restante glacê.

Esta receita é simples e sai sempre maravilhosa, mesmo quando, por azar, a massa talha um pouco ao juntar os ovos.

Se preferir encharcar o bolo com sumo de laranja (em vez de cobrir com o glacê), regue vagarosamente o bolo, ainda quente, para que ele consiga embeber todo o sumo e ficar com uma textura tipo pudim.

Espero que tenham gostado da sugestão de hoje, o nosso lanche de domingo.

Aproveito para desejar a todos um excelente início de semana e agradecer por continuarem por aqui comigo.

Até breve!

 

 

0 comments on “A laranja no topo do boloAdd yours →

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.