As saladas de abóbora

A primeira coisa que fiz hoje de manhã, depois de acordar, foi enviar uma mensagem à professora da Alice a informar que ela não podia ir à escola. Ainda febre. Ainda dores. Uma irritabilidade constante aliada à falta de horas de sono. Coragem, mãe, coragem!

Coisas de criança, dizem todos, mas coisas que nos deixam a nós (pais e mães) ainda mais doentes. Porque é que a nossa mente é tão criativa e ao mesmo tempo destrutiva nestes dias?

Já me sentia esgotada e ainda o dia mal tinha começado. Depois ela acordou. Queria ir para a escola. Doente, com febre, com dores. Explicar porque não podia ir tornou-se na 2a tarefa do dia.

“Mas eu já estou boa. Vês, já não me dói nada. Febre? Se tenho febre dás mais um bocadinho de xarope para eu ir para a escola (…)” – eu sei, é assim que eles nos mostram que são mais fortes do que aquilo que nós pensamos.

Manhã passada sem dar por isso, dei por mim cheia de fome e sem planos para o almoço. A Alice, que passou a manhã a petiscar fruta, queijo e pão com manteiga (abençoado apetite), tinha o almoço à espera para ser aquecido. Já eu, que sentia precisar de algo que me aquecesse a alma, não sabia o que comer.

Na ilha da cozinha descansava uma butternut. Estava lá há quase 15 dias, quase que sem rumo certo. Ia ser uma sopa, mas foi posta de parte. Ia ser um cheesecake, mas perdi a vontade.

“E porque não começar já a estação da salada de abóbora assada?”Comentei com os meus botões. Vocês não sabem, mas no ano passado, assim que apareceram as abóboras da época, fui com a minha comadre a um campo de venda em self-service. Comprámos umas 15 abóboras ao todo (a ideia inicial era serem usadas para congelar, para a sopa, para doce, para Chutney e, pois claro, para o Halloween – até porque havia lá umas granditas). Muito embora as opções de uso fossem mais do que muitas, acabei por devorar grande parte das abóboras em saladas quentes/frias, para os meus almoços. Sim, pode dizer-se que comi abóbora todos os dias, durante aquela estação.

Couscous com abóbora, quinoa com abóbora, outros legumes com abóbora. Abóbora com abóbora…

Hoje trago-vos uma versão de salada quente de abóbora assada, com beterraba e queijo feta. Porque tinha muita fruta no frigorifico, aproveitei uns figos para fazer um creme balsâmico para acompanhar. Deixo-vos também como sugestão.

Salada de abóbora assada

&

Creme balsâmico de figo

Ingredientes para 2 pessoas:
1/2 bbóbora butternut (guardar as pevides)
1 beterraba crua
2 figos
1 chávena de espinafres frescos
sementes de sésamo branco tostado q.b.
folhas de salva a gosto
mel q.b.
azeite q.b.
sal q.b.
pimenta q.b.
200gr de queijo feta

Modo de preparação:
Pré-aqueça o forno nos 200°.

Comece por descascar e cortar a abóbora em cubos pequenos. Coloque os cubos dentro de um saco de plástico,  deite um pouco de azeite e de sal e feche o saco, misturando bem para que todos os cubos fiquem temperados.

Coloque a abóbora na metade de um tabuleiro de ir ao forno, forrado com papel vegetal.

Descasque depois a beterraba. Parta em cubos pequenos e, aproveitando o mesmo saco de plástico, tempere a beterraba da mesma forma que temperou a abóbora. Disponha no tabuleiro e adicione ainda os figos, cortados em 4 partes.

Leve ao forno durante cerca de 20 minutos, controlando de vez em quando, para que os legumes não assem demasiado.

Ao fim desse tempo, retire o tabuleiro. Regue tudo com um bom fio de mel e adicione folhas de salva untadas com azeite.

Leve ao forno por mais 3 ou 4 minutos.

Retire o tabuleiro do forno e deixe arrefecer um pouco. Se quiser, aproveite as pevides da abóbora para acompanhar com a sua salada. Coloque algumas pevides limpas num tabuleiro, regue com um pouco de azeite e tempere com sal, azeite e paprica (se tiver, use paprica fumada). Leve ao forno por 3 ou 4 minutos.

Num prato ou taça, disponha algumas folhas de espinafres frescos. Coloque por cima a abóbora, a beterraba e o figo.  Salpique com algumas sementes de sésamo branco tostado, distribua o queijo feta e as sementes de abóbora estaladiças. Por fim, esmigalhe as folhas de salva, para sabor e crocância.

A Salada não precisa de nenhum tempero extra. No entanto, porque quis experimentar, preparei um creme balsâmico de figo que acompanhou muito bem estes sabores.

Para o creme balsâmico de figo usei os seguintes ingredientes:

5 figos descascados e partidos em 2
1 fio de azeite
1 pitada de sal
1 fio de mel
100ml de vinagre balsâmico

Num tabuleiro, untado com azeite, coloque os figos descascados e partidos em 2. Tempere com um pouco de sal e um fio de mel.

Leve ao forno aquecido a 180°, durante 10 minutos. Retire e regue com o vinagre balsâmico. Leve de novo ao forno por 2 minutos.

Coloque tudo num copo e triture com a varinha mágica. Para eliminar graínhas, coloque o creme num passador. Retifique os temperos, junte mais um fio de mel e deixe arrefecer.

Nota: pode preparar o creme balsâmico logo ao início, aproveitando o pré-aquecimento do forno para assar a abóbora.

O resultado final é uma salada com tons e sabores de Outono. Eu adoro esta conjugação e, muito embora a adição do figo tenha sido novidade, acho que confere à salada um sabor ainda mais especial.

Mais uma vez, muito obrigada por continuarem por aqui comigo.

Até breve!

0 comments on “As saladas de abóboraAdd yours →

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.