Da açorda às sopas com pão ao lado

Há muitos anos atrás, numa cozinha que já não é nossa, o meu pai serviu-me uma tigela de sopa de tomate. Garanto-vos, se ele estiver a ler este post, já sabe de que dia se trata.

Nunca dei muito trabalho a comer e até sei de cor as minhas pequenas implicâncias: pataniscas, esparregado de favas, rancho, bacalhau à Brás. Não há muito mais do que isto.

Não acho sequer que, antes daquele dia, eu tivesse implicado com sopa de tomate – até porque lá em casa (e cá em casa) comer tomate fazia parte da rotina diária.

Foi naquele dia, por alguma razão, ou razão nenhuma…

“Come a sopa, Rita Mónica” – já vos tinha dito que a minha combinação de nomes é no mínimo interessante?

Da sugestão à ordem e da ordem à ameaça, enquanto que o meu pai perdia a paciência comigo, eu testava o poder absorvente do pão. Da sopa aguada que ocupava a minha tigela, construí uma papa consistente, tão consistente quanto me era possível.

“Agora em vez de sopa, tens aí cimento para construção. Só sais da mesa quando comeres tudo.” Isto. Simplesmente isto. Sem sequer me dar hipótese de tentar aquele revirar de olhos que a minha filha herdou de mim – e hoje usa tão subtilmente.

Desde então, nunca nenhuma sopa de tomate ficou a contar as horas no meu prato e, hoje em dia, continua a ser uma das sopas que mais fazemos cá em casa.

Mais tradicional, carregada de basílico ou simplesmente aguada e com massa, não há receita que não goste e que não repita.

A versão que vos trago hoje é, sem sombra de dúvidas, a mais saborosa. Precisa de forno e de carinho, mas vale tanto a pena experimentar.

Sopa de tomate assado

&

Pão de alho

Ingredientes para a sopa
1kg a 1.5 de tomate
2 cebolas roxas
2 cebolas amarelas
7 a 8 dentes de alho ainda com casca
azeite q.b.
sal q.b.
1 malagueta vermelha inteira
manjericão fresco

Modo de preparação:

Comece por preparar o caldo de legumes (receita a seguir) caso queira usar caldo caseiro, mas ainda não o tenha feito.

Lave todos os legumes e prepare um tabuleiro grande com 1 ou 2 folhas de papel vegetal.

Não descasque nenhum dos legumes que vai assar. Disponha os tomates cortados ao meio, as cebolas cortadas ao meio e os dentes de alho e a malagueta inteiros.

Regue tudo com um bom fio de azeite, tendo o cuidado de espalhar bem com as mãos, sobre cada um dos legumes. Tempere com sal e leve ao forno, pré-aquecido nos 220°.

Ao fim de 30-40 minutos, quando os legumes já tiverem uma cor escura (a dar ares de queimado – não se preocupe, são peles e cascas que não vai usar), retire o tabuleiro do forno e deixe arrefecer um pouco.

Assim que possível, tire as cascas e as peles aos legumes, sem esquecer de tirar as sementes à malagueta. Verifique se a malagueta é muito picante e, consoante o que achar, coloque ou não a malagueta inteira.

Não desperdice os sucos que o tomate largou no tabuleiro. Escorra para um copo ou taça e, com a ajuda de uma espátula, retire todo o conteúdo colado ao papel vegetal.

Coloque os legumes agora descascados numa taça, junte um pouco de caldo e triture tudo. Neste passo, pode usar o processador ou a varinha mágica. Verifique a consistência e vá juntando caldo até alcançar a que pretende.

Retifique os temperos e, caso necessário, aqueça a sopa antes de servir.

Pique manjericão fresco e sirva-o, salpicado, já nas tigelas individuais.

Acompanhe com pão de alho feito em casa, aproveitando ainda o forno quente (veja a receita a seguir à do caldo de legumes).

Ingredientes para 1l e 1/2 de caldo de legumes
1 cebola
2 dentes de alho
1 talo de aipo
3 cenouras (use a rama se tiver)
1 pouco de gengibre fresco (opcional)
1/2 bolbo de funcho (opcional)
sal q.b.
grãos de pimenta q.b.
2 folhas de louro
1 ramo de salsa (ou outra erva aromática à escolha)

Modo de preparação:

Lave, descasque e corte todos os legumes. Numa panela, junte os legumes e os restantes ingredientes. Coloque cerca de 1l e 1/2 de água e deixe ferver. Assim que ferva um pouco, baixe a temperatura do fogão e deixe cozinhar durante cerca de 1 hora.

Este caldo pode ser feito com antecedência e conservado alguns dias no frigorífico ou no congelador. Pode usá-lo em muitas outras receitas.

Ingredientes e modo de preparação do pão de alho:
1 baguete pré cozida
2 c. sopa de manteiga à temperatura ambiente
1 dente de alho pequeno
sal grosso q.b.

Corte a baguete em fatias finas, sem cortar até ao fim. Num copo ou processador pequeno, coloque 2 c. de sopa de manteiga e 1 dente de alho ralado. Deite sal a gosto e triture tudo. Se estiver a usar um copo, pode usar a varinha mágica.

Barre cada uma das fatias com manteiga, tendo o cuidado para não partir mais o pão.

Embrulhe a baguete em folha de alumínio, criando uma espécie de protecção, com o topo descoberto.

Aproveite ainda o forno quente e coloque o pão a cozer/tostar. Para conseguir uma crosta estaladiça, mas com o interior mole, não coza o pão por mais do que 10-12 minutos.

Há refeições simples que se tornam muito, muito especiais. Esta sopa, acompanhada deste pão de alho acabado de sair do forno, é prova disso.

Não se assustem com a parte de levar os legumes ao forno. Depois de provarem uma sopa destas a primeira vez, não quererão sopa de tomate de outra forma. Cá em casa, além de serem frequentes, as sopas de legumes assados são as vencedoras.

Espero que tenham gostado da minha sugestão.

Aproveito para desejar a todos uma excelente semana e agradecer por continuarem por aqui comigo.

Até breve!

 

 

 

 

0 comments on “Da açorda às sopas com pão ao ladoAdd yours →

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.