O livro de receitas da minha mãe, no mês dedicado a todas elas

O livro de receitas da minha mãe nada mais é do que uma antiga agenda de 1965, do clube das donas de casa. Amarelado pelo tempo e com cheiro a livro velho, está agora comigo, dando-me a oportunidade de rever (e executar) algumas das receitas que sempre a vi fazer.

A agenda em questão é uma autêntica relíquia que não deve ser ignorada:

Muito embora algumas das receitas escritas neste livro estejam ultrapassadas, gosto de pensar que se hoje as fizesse, iam cheirar e saber exactamente ao mesmo que sabiam há 20 e tal anos atrás quando, ao ver a batedeira da Moulinex em cima da mesa e o livro de receitas aberto, sabia de antemão que vinha aí coisa boa.

Entre salgados e doces lembro-me de dois dos nossos preferidos:

Pudim de Peixe com molho de tomate

Quando chegávamos a casa, depois de um dia de escola, e víamos miolo de pão embebido em leite, sabíamos imediatamente que jantar nos esperava: pudim de peixe. A imagem do peixe vermelho a cozer não nos fazia torcer o nariz pois, afinal de contas, pudim de peixe não é peixe,é pudim. E se é pudim, é bom!

Ingredientes
500gr de peixe
azeite
salsa
80gr de miolo de pão
200ml de leite
5 ovos
2 cebolas médias
sal e pimenta
manteiga
pão ralado

Preparação

Comece por cozer o peixe, deixando-o arrefecer para o poder desfiar.

Pré-aqueça o forno a 200 ºC e ponha o leite a ferver. Assim que o leite ferva, coloque-o sobre o miolo de pão e deixe embeber bem.

Pique a cebola finamente e refogue-a num bom fio de azeite. Junte a salsa picada.

Assim que a cebola esteja bem refogada junte o peixe e misture. Adicione as gemas (previamente batidas) e o pão. Tempere com sal e pimenta e retire do lume, deixando arrefecer, enquanto bate as claras em castelo e unta uma forma de bolo com manteiga e a polvilha com pão ralado. Envolva cuidadosamente as claras em castelo (batidas até estarem bem firmes) no preparado anterior.

Coloque tudo na forma de bolo e leve ao forno durante 25-30 minutos ou até fazer o teste com o palito e este saír limpo.

Enquanto o pudim está no forno, prepare o molho:

Refogue 2 cebolas e 2 dentes de alho, cortados às rodelas, num fio de azeite. Junte 3 tomates médios pelados e picados, 2 colheres de sopa de polpa de tomate e um pouco de salsa. Tempere com sal e pimenta e deixe cozinhar durante cerca de 15 minutos. Quando estiver pronto, triture até obter um creme macio.

Torta recheada

Ainda me lembro do pano, impecavelmente esticado em cima da mesa e polvilhado de açucar, que aguardava a chegada do tabuleiro com bolo quentinho. Excepto que o pano não aguardava nada, quem aguardava era eu.

A maior parte das vezes nem podia provar a torta. A desculpa era sempre igual: “é para o mano levar para a escola”.

Sobre o recheio de chocolate nem valia a pena perguntar, estava sempre quente – e para queimaduras já eu tinha aprendido a lição com os marrons glacés do meu pai.

Em agradecimento ao sol, que decidiu voltar a brilhar nesta magnifica terra, substituí o chocolate preto por chocolate branco e envolvi-o num creme bem fresco.

Ingredientes
(todos os ingredientes à temperatura ambiente)
5 ovos
200gr de açucar
125gr de farinha
1 pacote de açucar baunilhado (usei baunilha em pó)
80ml de leite
açucar em pó

Preparação

Pré-aqueça o forno a 180 º C.

Bata muito bem as gemas com o açucar. Adicione aos poucos a farinha peneirada, acrescentando depois o leite e o açucar baunilhado.
Bata as claras em castelo (picos suaves) e junte ao preparado anterior, envolvendo suavemente.
Coloque a massa num tabuleiro, previamente untado com manteiga e forrado com papel vegetal, também untado. Leve ao forno durante 12 minutos.

Enquanto aguarda, estique um pano limpo na mesa e polvilhe-o de açucar em pó. Quando a torta estiver pronta desenforme-a sobre o pano e enrole.

Volte a desenrolar a torta e recheie com creme de chocolate ou outro recheio à escolha. Enrole de novo e deixe arrefecer completamente, antes de servir.

Para o recheio desta torta espalhei uma camada generosa de doce de morango e um creme feito com chocolate branco (100gr chocolate branco derretido; 200gr de queijo creme; 125ml natas ácidas).

No meu imaginário a torta da minha mãe nunca rachava nem havia acidentes na cozinha. A minha começou com 9 ovos no chão e acabou com uma cozinha polvilhada de açucar em pó. Citando o meu irmão, uma verdadeira “expressão natural do nosso talentoso património genético” –  histórias para outros dias…

Uma excelente semana a todos!

Obrigada por estarem aqui comigo.

0 comments on “O livro de receitas da minha mãe, no mês dedicado a todas elasAdd yours →

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.